DERMATOLOGIA

ACNE: O QUE FAZER???

Acne geralmente corresponde à lesão de pele vulgarmente conhecida como “espinha”. Quase todo mundo já passou pela situação desagradável de ter uma ou mais espinhas no rosto. Isto pode ocorrer de uma forma leve, que não traga problema algum, ou até de formas mais drásticas, com importantes repercussões estéticas, psicológicas e sociais para o paciente.

O alvo predileto da acne é o adolescente, mas ela atinge também outras faixas etárias, tanto homens quanto mulheres.

As soluções caseiras, como uso de cremes sem orientação médica, “limpezas”, ou a famosa “espremida” na espinha podem agravar muito o quadro, inflamando mais, tornando a pele mais oleosa, piorando as cicatrizes e fazendo com que as lesões se tornem muito mais visíveis para as outras pessoas.

Portanto, para iniciar o tratamento, é necessária uma consulta com o seu dermatologista.

Falando do principal, que é o tratamento, há uma gama muito grande de produtos e medicações que podem ser utilizadas. Mas lembre-se: para cada pessoa, tipo de pele e grau de acne, há produtos específicos a serem usados. Ou seja, o tratamento tem que ser individualizado.

Em relação aos sabonetes, temos vários tipos, como os de ácido salicílico, triclosano, peróxido de benzoíla e outros, que geralmente são usados para se lavar o rosto 2 vezes ao dia.

É importantíssimo também o uso de protetor solar, principalmente porque a acne pode deixar cicatrizes escuras, dependendo da situação, se a pessoa manipula as lesões e se expõe ao sol. Mas é importante saber que há protetores solares específicos para pele com acne. Outros, não devem ser usados de maneira alguma. Seu dermatologista saberá indicar o melhor.

Temos também o uso dos ácidos na forma de “creme” para usar a noite, como o ácido retinóico, associado ou não a antibióticos tópicos.

Há também os “peelings” próprios para pele com acne. O “peeling” é um procedimento no qual se usa um ácido na pele. A pele sofrerá uma descamação e logo se recuperará, sendo substituída por uma pele renovada, menos oleosa, com “poros mais fechados” e com menos lesões de acne. Em alguns casos, as lesões podem desaparecer.

Às vezes, quando as lesões são muitas e inflamatórias, podemos recorrer ao uso de antibióticos orais, com bons resultados.

A acne costuma ser um quadro arrastado, de difícil controle. Por isto, nos casos mais resistentes e mais graves, podemos recorrer ao uso da Isotretinoína por via oral. A Isotretinoína é tida por muitos dermatologistas como o melhor tratamento para quadros graves de acne. O tratamento com Isotretinoína é um pouco longo, por volta de 6 a 8 meses. É uma medicação controlada, tem que ser usada com controle do médico e é prescrita num receituário especial. Se o paciente for mulher, não pode de maneira alguma engravidar durante o tratamento. O resultado costuma ser fantástico, pois há melhora importante do quadro, mesmo nos anos posteriores à parada do uso da medicação. Ou seja, o resultado se mantém.

Portanto, caso você tenha acne, é importante que seu caso seja avaliado por um dermatologista, para um tratamento mais efetivo e duradouro.

CÂNCER DE PELE: CUIDADO!!!

A pele é o maior órgão do corpo humano. É dividida em duas camadas: uma externa, a epiderme, e outra interna, a derme. A pele protege o corpo contra o calor, a luz e as infecções. Ela é também responsável pela regulação da temperatura do corpo, bem como pela reserva de água, vitamina D e gordura.

Embora o câncer de pele seja o tipo de câncer mais freqüente, correspondendo a cerca de 25% de todos os tumores malignos registrados no Brasil, quando detectado precocemente este tipo de câncer apresenta altos percentuais de cura.

Os cânceres de pele podem ser desencadeados por fatores genéticos, exposição a alguns agentes químicos, radiação, processos irritativos crônicos e outros. Mas o principal fator é a exposição excessiva aos raios ultra violeta do sol.

Há lesões que podem aparecer e nos dar algum sinal de que aquela região da pele não está bem, ou seja, de que ali pode aparecer câncer. Essas lesões são chamadas pré-neoplásicas, ou seja elas ainda não são câncer, mas podem virar, caso não sejam tratadas.

Os cânceres de pele também podem aparecer como lesão inicial, ou seja, de cara já surgem mesmo como câncer, sem nenhuma outra lesão precursora visível.

Um dos tipos mais comuns de câncer de pele é o carcinoma basocelular. Felizmente, se detectado a tempo, ele pode ser tratado com boas chances de cura, sem mais repercussões para o paciente, já que muitas vezes são apenas retirados com um pequeno corte e anestesia local. Outros já são mais agressivos, necessitando de tratamentos mais radicais.

Por isso, é muito importante o uso do protetor solar, mesmo que você não esteja na praia. A exposição crônica ao sol é muito prejudicial, mesmo o sol que se toma quando se vai à rua, quando se está dirigindo, ou fora de casa. Assim, devemos fazer uso diário do protetor solar. No início, é muito difícil, mas depois, se torna um hábito. Hábito que pode evitar problemas graves no futuro.

Portanto, se você tem manchas que estão aumentando de tamanho, mudando de cor, feridinhas que nunca cicatrizam, ou pintas que surgiram de maneira estranha, é importante que se consulte um dermatologista. Só ele vai poder dar o diagnóstico e proporcionar a você o melhor tratamento.

Agende sua consulta com o dermatologista

START TYPING AND PRESS ENTER TO SEARCH